Fla-Olímpico / Esporte Amadores

Flamengo recebe quase R$ 5 milhões para investir em formação de atletas

O Comitê Brasileiro de Clubes (CBC), então Confederação Brasileira de Clubes, anunciou o repasse de R$4.968.491,52 ao projeto Flamengo Olímpico, capitaneado pelo Departamento de Esportes Olímpicos do clube. De acordo com informações do Rubro-Negro, 747 atletas serão beneficiados, além de 32 profissionais da pasta. A verba é fruto da descentralização de recursos de concursos de prognósticos (0,5%) previstos na Nova Lei Pelé para a formação de atletas olímpicos e paralímpicos em clubes de todo o Brasil e, desta vez, será investida exclusivamente em recursos humanos para as categorias de base.

– O Flamengo é o principal destinatário do CBC, e tenho certeza de que o Comitê se orgulha muito dos nossos resultados apresentados. Por ser um clube cidadão e ter todas as Certidões Negativas de Débito (CND) em dia, o Flamengo foi um dos primeiros clubes aptos a receber os recursos descentralizados da então CBC. Estamos usando essa verba com muita responsabilidade para a formação de nossos atletas olímpicos – disse o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello.

O Flamengo apresentará ainda projetos olímpicos em editais da CBC visando ser contemplado através de aquisição de equipamentos, recursos humanos e participação em competições ao longo dos próximos quatro anos.

Fonte: Lance

Padrão
Fla-Olímpico / Esporte Amadores

Teto salarial, fôlego na base e técnico francês: Fla inova no remo

Depois de um ano de vacas magras no remo do Flamengo, com a polêmica dispensa de praticamente toda a equipe sênior, a diretoria rubro-negra promete reformulação profunda no esporte que deu origem ao clube. O primeiro passo foi a contratação do francês Stèphane Durand, ex-técnico da confederação da França, para ser consultor da modalidade em todos as categorias. A ideia é implementar o modelo francês, nos qual os atletas não são 100% profissionais do esporte.

— Este ano, tivemos um grande problema por causa dos Jogos, com as garagens fechadas por quatro meses. Então, pensamos em usar o ano para a quebra do modelo atual, que era de pouca formação e busca por atletas prontos. Foi um ano de estruturação do planejamento. Fomos pouco competitivos. Participamos apenas de 1/3 das provas do Estadual e metade das provas do Brasileiro, pois não tínhamos atletas — explicou o vice-presidente de Remo Bruno Cotecchia.

Agora, o Flamengo pretende trazer atletas que aceitem o modelo de parceria. Ou seja, o clube não pagará altos salários aos remadores, mas oferecerá todos os serviços que dispõe, como a nova flotilha comprada e a academia especializada. Atualmente, a diretoria já limitou um teto, que não chega à metade dos salários mais altos do esporte no Brasil.

— Muitos foram embora, pois não aceitaram esse modelo. O clube não é mais o patrão, mas um parceiro no projeto esportivo. Queremos oferecer bons barcos, treinamento de ponta e dividir os ganhos futuros com os atletas, em caso de patrocínios, por exemplo — disse Cotecchia, explicando que os benefícios podem ser de bolsas de estudos a ofertas de empregos em empresas parceiras do Flamengo.

Se, à primeira vista, o modelo pode ter afastado alguns remadores do clube, Cotecchia conta que alguns já entenderam o projeto:

— A Fernanda Nunes, atleta olímpica, chegou a sair e voltou. Ela comprou a proposta e recusou outros clubes onde teria ganho financeiro maior — lembra o vice, que pretende fechar a equipe com 60 atletas, ainda em fase de prospecção.

Resultados, porém, são esperados apenas em 2018. No ano que vem, a meta é voltar a ser competitivo e estar presente em todas as categorias. Disputar e ganhar títulos somente em 2018. Para isso, conta com a experiência de Durand, que também ministrará períodos de treinamento no clube e fora do país. Ele chegará no mês que vem e levará dois atletas rubro-negros para participar de um camp em Porto Rico, com remadores americanos, mexicanos e porto-riquenhos.

Flamengo promete meio milhão em salários para Marinho

Furacão quer dois jogadores do Fla por Marcos Guilherme

— Lá fora, os técnicos atendem da base à equipe principal. Eles ensinam a remar e depois preparam o atleta. Ele fez isso com a Argentina. Pegou quatro remadores, e, em quatro anos, os levou à final olímpica em Londres-2012 — conta o vice-presidente.

O intercâmbio feito durante os Jogos – os ingleses usaram as dependências do clube e doaram equipamentos — continuará em vigor:

— Ele vai escolher dois atletas de fora do país que tenhamos condições de pagar. Mas a ideia é que eles permaneçam aqui após os campeonatos.

 Fonte: O Globo
Padrão
Fla-Olímpico / Esporte Amadores

Vasco não entra em quadra e Flamengo é campeão carioca de basquete

A equipe do Flamengo entrou em quadra nesta terça-feira (6) apenas por protocolo. Com a recusa do Vasco de disputar a final, o time rubro-negro venceu por W.O. e conquistou o título do Campeonato Carioca de basquete.

Para cumprir a regra, o árbitro da partida esperou por 15 minutos e declarou o Flamengo vencedor da partida e do título do Campeonato Carioca.

“É uma noite triste não só para o Flamengo como para o basquete brasileiro. Nós não merecíamos ganhar um campeonato como foi esse. A bola tinha que subir e infelizmente aconteceu isso”, lamentou o ala Marquinhos, do Flamengo, ao “SporTV”.

Mais cedo nesta terça-feira, o presidente do Vasco, Eurico Miranda, emitiu uma nota oficial afirmando que o clube abriria mão da terceira partida da série em melhor de três da final. O cartola alegou questões de segurança para não deixar o time cruz-maltino entrar em quadra. O duelo seria realizado com torcida única do Flamengo, por determinação da Polícia Militar.

Atualizando: Elias, Marinho, Vitinho e o 1º Volante

Fla procura volante Romulo

A princípio, o jogo desta terça-feira seria disputado com portões fechados. O Flamengo foi punido por uma briga na parte interna do ginásio do Tijuca Tênis Clube entre membros de sua torcida no confronto com o Vasco do primeiro turno do Estadual. O clube recorreu e conseguiu evitar que a punição valesse para o terceiro jogo da final. No julgamento, houve multa de R$ 10 mil ao Flamengo e a realização de duas partidas com portões fechados – já cumpridas.

Fonte: UOL

Padrão
Fla-Olímpico / Esporte Amadores

Dirigente do Fla diz que clube não tem como impedir entrada de organizadas

As  cenas de vandalismo protagonizadas por duas torcidas organizadas do Flamengo ofuscaram o clássico entre o clube da Gávea e o Vasco, nesta segunda-feira, no Tijuca Tênis Clube, no Rio de Janeiro. Mesmo com torcida única do time mandante, o jogo foi marcado por dois grandes incidentes na arquibancada e ao menos duas invasões de quadra após a partida. Vice-presidente de esportes olímpicos do Flamengo, Alexandre Póvoa afirmou que o clube não tem como impedir a entrada de organizadas, uma vez que os mesmos têm adquirido seus ingressos a preços comuns nas bilheterias. Póvoa criticou a Federação de Basquete do Estado Rio pela marcação da partida para o Tijuca, lembrando que a cidade conta com cinco arenas olímpicas e que o Flamengo tenta, há quatro anos, aprovar o projeto de construção do seu ginásio multiuso, na Gávea.

Flamengo x Vasco, basquete, Campeonato Carioca de Basquete, briga entre torcedores (Foto: André Durão)

– Estamos jogando num lugar menor tendo cinco arenas olímpicas na cidade. São arenas construídas com o dinheiro público e não podemos jogar lá. Sem contar que o Flamengo quer ter uma arena própria, que o poder público não nos deixa construir há quatro anos. Estão enrolando o Flamengo de todas as formas, é estranho, porque é uma obra 100% privada. Quanto às torcidas organizadas, posso dizer que ninguém aqui ganha ingresso de graça, nem no futebol. Isso já acontece no clube desde 2013. Então, se o torcedor compra a sua entrada, ele tem o direito de assistir ao jogo. Não temo que o Flamengo seja punido, somos no mínimo réus primários nessa história – comentou Póvoa.

FLAMENGO PODE TER QUE PAGAR DÍVIDA DO RIO-2016 PARA TER MARACANÃ NO DIA 23 CONTRA O CORINTHIANS

Em entrevista à revista peruana, Guerrero diz que ‘já não tem mais a mesma chegada de antes’

Presidente da Federação de Basquete do Rio, Álvaro Lionides revelou que a tendência é que os próximos jogos de maior apelo do Estadual sejam realizados no Maracanãzinho ou em alguma arena olímpica. Segundo o dirigente, já há conversas para a liberação dos tais ginásios nos próximos clássicos. No dia 15 deste mês, Vasco e Flamengo voltam a se enfrentar pela terceira rodada do returno. A princípio, o jogo está marcado para o Tijuca com torcida única vascaína, o que pode ser mudado.

Alexandre Póvoa Flamengo x Vasco basquete (Foto: Flávio Dilascio)

– Se ficarmos remoendo não vamos encontrar solução. Vamos buscar a liberação dos tais legados olímpicos, especificamente o Maracanãzinho, para darmos continuidade a um campeonato tão bonito – afirmou Leonides, que revelou que o Flamengo deverá ser punido com multa pelas confusões desta segunda-feira.

Póvoa também pediu desculpas pelos incidentes no clássico contra o Vasco. Quando conversava com jornalistas na quadra ao final da partida, o dirigente chegou a ser interpelado por um torcedor com o uniforme de uma facção. Gritando palavras de ordem na beira da arquibancada, ele criticou a montagem do elenco para a temporada 2016/17 e afirmou que a torcida não tolerará mais maus resultados.

– Foi um grande jogo, é claro que não gostamos de perder, mas faz parte do processo, porque o time é novo, e o Vasco está treinando há mais tempo. O Flamengo, como mandante da partida, pede desculpas pelo que aconteceu, mas o que está acontecendo aqui (partida com torcida única no Tijuca) é tirar o sofá da sala quando você é traído – comparou.

O vice de esportes olímpicos do Flamengo criticou ainda o Grupamento Especial da Policiamento de Estádios (Gepe) da Polícia Militar do Rio pela obrigatoriedade de torcida única nos clássicos do Estadual 2016. Irritado, Póvoa ameaçou até boicotar o campeonato do ano que vem caso não aconteçam mudanças.

– Daí vamos jogar no Tijuca, e o Gepe manda torcida única. É a primeira vez que acontece isso. Não seria melhor jogar com as duas torcidas no Maracanãzinho ou Arena Olímpica? Se for para jogar Flamengo x Vasco com torcida única no Carioca, a gente não joga o torneio do ano que vem. Vamos mandar um sub-20, porque estamos perdendo muito dinheiro nessa história – frisou.

Torcedor Flamengo invasor basquete (Foto: André Durão)Torcedor Flamengo invade a quadra do Tijuca após a derrota para o Vasco (Foto: André Durão)

Procurada pelo GloboEsporte.com após a partida para se defender das críticas do dirigente, a PMERJ ainda não se manifestou sobre o assunto. A Federação do Rio não soube informar quantos policiais trabalharam na partida, mas o GloboEsporte.com apurou que um grande contingente de homens do 6º BPM foi deslocado para o ginásio após o primeiro incidente.

Fonte: Globoesporte.com

Padrão
Fla-Olímpico / Esporte Amadores, Sem categoria

Flamengo e seu Dia Olímpico

Neste domingo, o Flamengo comemora o seu Dia Olímpico. E para celebrar a data, apresentou a nova piscina, batizada de Daltelty Guimarães, um dos maiores treinadores de Natação que o Brasil já teve,  de sua sede social, na Gávea, zona sul do Rio.

Estiveram presentes no evento, o vice-presidente de Esportes Olímpicos,  Alexandre Póvoa, e o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello. Todas as 10 raias foram batizadas com nomes de ex-atletas rubro-negros:

Raia 0 – Mariana Brochado
Raia 1 – Fernando Scherer
Raia 2 – Cristiana Lobo / Fernanda Veiirano
Raia 3 – Ricardo Prado
Raia 4 – Patrícia Amorim
Raia 5 – Família Rômulo Arantes
Raia 6 – Fernando Carsalade
Raia 7 – Jorge Fernandes
Raia 8 – Maria Elisa Guimmarães
Raia 9 – Marcelo Jucá

Leia mais:

2009 – O ANO DO HEXA

Montando o Novo Flamengo

Representante italiano a Vizeu: Quer ganhar quanto pra jogar na Itália?

Padrão