A Diretoria, O Clube

Está tudo bem

bandeirademelloQuando resolvi criar este blog, queria fazer algo para falar aos amigos rubro-negros, de rubro-negro para rubro-negro. Nunca fora minha intenção ser chato (apesar de saber que sou), ou um opositor cego e ferrenho, mas sim, de dar voz as palavras que diariamente leio, através das redes sociais, de vários amigos que, como eu, vivem plenamente o Clube de Regatas do Flamengo, maior clube de futebol do mundo. Para começar é preciso dizer que este post não é sobre politicagem, apesar de achar que o Flamengo vem se encolhendo sistematicamente ao longo dos anos nessa pasta. Tão pouco para apoiar ou denegrir 100% do que essa diretoria fez, está fazendo ou ainda fará.

Também não quero denegrir a imagem do então Ilmo. Sr. Presidente Eduardo Bandeira de Mello (pelo menos vou tentar)…Mas estou certo que ele entenderá, caso algo o atinja, afinal de contas, se precisamos falar de assuntos relacionados a diretoria, é porque eles nos deixaram sem o futebol para poder falar.

Isso mesmo. Vou contar uma novidade para vocês: Estamos fora das finais do carioca, pelo segundo ano consecutivo. E querem outra novidade? Fomos eliminados pela terceira vez consecutiva pelo mesmo time. Que sina.

Então não temos futebol neste domingo. Mas e daí? O trabalho está sendo bem feito. Tivemos contratações de peso que daqui a pouco vão se encaixar e então tudo ficará bem.

Guerrero vai fazer os gols que a torcida tanto espera – um adendo: para cada gol de Guerrero até agora, o Fla pagou o equivalente a R$ 950.000,00, isso mesmo 950 mil verdinhas.

Muricy fez Cirino encontrar o seu melhor futebol. Agora vai. Ué, peraí! Mas com Luxa no ano passado, Cirino deu show, fez mais gols que esse ano até e no brasileiro… Há o brasileiro…

Mas esse ano temos Mancuello, Cuellar e Arão, peças fundamentais que se encaixaram como luvas na meiuca rubro-negra. Mas também, para quem tinha Márcio Araújo, Alan Patrick e Canteros, convenhamos que ficaríamos felizes com qualquer criatura com um pingo de cérebro e criatividade, concordam? Mesmo assim, problema resolvido por aqui também.

Nas laterais, temos o promissor e jovem lateral-meia-esquerdo Jorge. Sim, lateral-meia, porque só meia, tem como características, cortar para dentro ao invés de cruzar quando chega na linha de fundo. E isso não é uma crítica, o garoto é jovem, é da base, pode e vai render muito, seja de meia, seja de lateral, é só termos paciência.

Do outro lado, o voluntarioso Rodinei. A cara do Fla. Jogador boa praça, gente boa pra caramba, veloz, faz boas tabelas e tem um entrosamento singular com Arão e Cirino. Vai nos render muitos gols e jogadas de perigo pelo lado direito.

Lá atrás temos o nosso xerife, Wallace. Zagueiro forte e viril, que como outros da sua alcunha, detêm grande grau de intelectualidade que o ajuda a se impor sobre atacantes, menos preocupados com a leitura e mais preocupados com futebol, um líder nato.

Juan se esforça para cobrir a ousadia de Jorge e a habilidade de armação que Wallace enxerga em seu ser. Corre de um lado para outro como um menino de 38 anos. Neste início de temporada pouco se ausentou do time, honrando a tradição de jogadores raçudos que o Flamengo sempre formou. Há quem se preocupe com os equipamentos, que certamente serão necessários para que Juan consiga cumprir o ciclo de 2016. Fala-se inclusive em desfibrilador.

E no gol, há no gol… No gol temos a segurança do melhor goleiro do Brasil, na opinião dos demais goleiros que participam da 1ª divisão. Paulo Vitor! Com toda sua segurança, elasticidade e dono de uma reação espantosa para os padrões humanos, Paulo Vitor é quase um aprimorado – palavra muito usada nos filmes da Marvel, para definir seres humanos com sentidos acima do padrão, os antigos mutantes.

Então pergunto: Porque tanta cobrança? Porque tanta chatice nas redes sociais? Como diria o nosso presidente: “O trabalho está sendo muito bem feito. Por enquanto fica tudo como está. E está tudo bem!”

SRN.

Padrão
A Diretoria, Campeontato Carioca, O Clube

O dia seguinte…

Que noite mais mal dormida. Meu colchão que até outro dia, era o melhor local para repouso e descanso, essa noite, repentinamente, se tornara duro demais para relaxar. Mesmo sendo ortopédico, machucava minhas costas de tal maneira que não conseguia ter mais que 30 minutos de sono. Que noite horrível!

Pela manhã, cumpri o meu ritual de sempre. Sentei a beira de minha cama, rezei, pedi proteção a mim e aos meus e agradeci a DEUS por ter me levantado mais um dia. Em seguida fui tomar banho. Chuveiro idiota, algo tinha acontecido com ele. Não consegui regulá-lo para a água quentinha que todas as manhãs me despertava. A água de tão gélida, chegava a dar calafrios. Mais estranho ainda, é que a água, mesmo gélida e cortantemente fria, ainda assim, conseguiu formar aquela névoa, costumeira das águas quentes.

Ao sair do banho, vi o rosto que mais me acalma e tranquiliza em minha frente, agora sim meu dia ia começar. Então eis que rapidamente ela me serviu o café e correndo, saiu com meu filho para levá-lo a escola. Diferentemente de toda manhã, tomaria meu café sozinho. Mas eu tinha o meu café, a moda mineira. Primeiro gole. Credo! Que café horroroso. De onde essa mulher tirou isso?

Olhei pela janela e vi um tempo fechado, feio, chuvoso. Raios e trovoadas cortavam os céus, numa chuva torrencial que parecia insistir cair apenas sobre a minha casa.

Parei por alguns minutos e comecei a refletir. O colchão era o mesmo, o chuveiro não estava estragado, o café tinha exatamente o mesmo gosto de todos os dias e o tempo lá fora estava mais bonito do que nunca.

Então porque eu me sentia tão mal, tão agoniado? Porque essa tristeza insistia em dominar o meu eu, a minha alma?

Já sei! É a alma ferida, machucada, de quem acredita e mantém em seu eu, o amor há muito tempo cultivado. O amor que rompeu barreiras federativas, que passou para mim, ainda no colo de meu pai, sentado ao lado da radiola. O amor pelo Flamengo!

Mas foi só mais uma derrota de tantas que já tivemos no Campeonato Carioca. Mais uma eliminação, como tantas outras já tivemos. Não se esqueçam, somos detentores de 33 títulos estaduais, temos libertadores, mundial, 6 brasileiros e 3 copas do Brasil.

Então porque isso tudo não me conforta?

Porque ao contrário de mim e de milhões de torcedores, esse time não tem alma. E não vou realizar análises individuais, porque vou cair na obviedade que todos nós rubro-negros já conhecemos muito bem.

Também não vou exigir uma coletiva do nosso presidente, pois este, por mais bem intencionado que seja, jamais conseguiu dar uma entrevista satisfatória para o torcedor do Flamengo. Sempre fala, fala e nunca diz nada.

Também não vou exigir mudanças drásticas, pois, por mais magoado que esteja, entendo que interromper trabalhos, nunca é a melhor opção.

Mas imploro a todas as pessoas que HOJE estão comandando o meu clube de coração: “Reflitam! Entendam o coração do torcedor. Façam o que tem que ser feito e rápido. Não descaracterizem o meu Flamengo. Não o deixe sem alma, frio, sem vida! Todos já identificaram quem são os maiores responsáveis por isso, então ajam! Devolvam ao torcedor a alegria de ser rubro-negro!”

SRN

Padrão
Copa do Brasil

Flamengo 3 x 0 Confiança

Engraçado como os deuses do futebol brincam com os torcedores aqui em baixo.

Confiança tem sido quase que a palavra de ordem para os flamenguistas.

Guerrero precisa pegar confiança para voltar a marcar. O time precisa de confiança para se reencontrar com o bom futebol…

Confiança

Entre os aficionados fãs, a Confiança estava abalada. Muitos não acreditavam 100% que o Flamengo pudesse passar pelo time de Sergipe. Isso, mesmo com o retrospecto de nunca antes na história desse certame, o Flamengo ter caído na primeira fase e só em três ocasiões ter saído nas oitavas, faltava confiança

A Copa do Brasil, talvez seja o campeonato que o Flamengo mais saiba jogar, afinal, foram 6 finais e 3 títulos conquistados. Mas ainda assim, grande parte da torcida estava sem confiança.

O jogo começou e o Flamengo fez o que se espera de um time de sua grandeza. Encurralou o fraco time de Aracajú. Chegou a ter 80% de posse de bola. Jogou o tempo todo em cima, fazendo quase que um treino de campo reduzido.

Do outro lado, o Confiança, colocava um ônibus na frente do gol e com 11 jogadores atrás da linha da bola, ia segurando o time rubro-negro.

Mas se defender também cansa e aos 30 minutos do primeiro tempo, já tinha jogador do Confiança com câimbras.

A essa altura o Flamengo já tinha tido um gol anulado e uns 589 impedimentos. Daqueles que por um segundo, ou por um milímetro, não resultaria em jogadas de gols. O que mostra que o time do ninho, está se entrosando e será questão de tempo, para que essas bolas cheguem no tempo certo.

Cirino se movimentou muito. Antes do jogo, muitos explicavam o seu crescimento (4 gols em 4 jogos), à mudança de esquema tático, pois assim Marcelo jogava mais próximo do gol.

Entretanto, ontem Muricy repetiu o esquema 4-3-3, para furar o forte bloqueio que o time sergipano iria oferecer e voltou com Cirino para a ponta.

Mas a fase é boa, e o atacante está cheio de confiança. E foi dele, as melhores oportunidades de gols rubro-negros.

Fernandinho jogava na esquerda e completava com Guerrero o ataque do Flamengo. Visivelmente sem ritmo de jogo e ainda desconhecendo as preferências e posicionamento de seus companheiros, Fernandinho perdia muitas bolas bobas, errava muitos passes. Mas o torcedor rubro-negro, saiu com a sensação de que há vida inteligente nas pontas caso precise retomar o 4-3-3.

E o primeiro tempo seguiu assim: um massacre do time rubro-negro. É verdade que em algum momento o time de Sergipe teve confiança para subir ao ataque e chutar umas bolas, mas nada que abalasse a confiança do escrete da Gávea.

Jorge, percebendo que haviam sergipanos demais a sua frente, resolveu encurtar o caminho e fazer virada magistral de jogo, achando Willian Arão sozinho, que escorou de cabeça para que Cirino quase fizesse. Quase… Será que a confiança do time seria abalada novamente?

Não! Mancuello entrou firme atrás e com o joelho fez, Flamengo 1 x 0 Confiança.

mancu1xo

Na volta para o segundo tempo, o Confiança veio ainda mais fechado, mas o Flamengo já tinha a tranquilidade que precisava e continuou fazendo o que se propôs a fazer desde o início: pressionar tanto, até que o time de Sergipe não aguentasse mais.

E foi assim. O Flamengo foi construindo várias jogadas e desperdiçando cada uma delas. Ora Guerrero chutava pra fora, ora em cima do goleiro, ora no cantinho…

Mas Arão estava decidido que nesta noite, seria dele os passes para gols. E com mais um passe, deixou Cirino praticamente debaixo do gol para marcar o segundo. De cabeça. Flamengo 2 a 0.

cirinoconfiança

Mancuello, mostrou que aproveitou os 40 dias afastados, para colocar o pé na forma e em todas as cobranças de falta, levou perigo ao gol sergipano.

Mas a noite era mesmo de Arão, que com outro passe magistral, deixou Cirino sozinho, a vontade, que penetrou, driblou o goleiro e deu números finais ao placar. Flamengo 3 a 0.

Com este resultado, o time rubro-negro se enche de confiança e segue firme para tirar a vantagem do time cruz maltino no Campeonato Carioca, domingo, em Manaus.

Certeza que sua torcida, outrora muito desconfiada, se encontra com mais confiança pela atuação do time e com as milhares de chances criadas.

O que o Flamengo precisava, os deuses do futebol se encarregaram de fazer, colocar Confiança no caminho do time.

Agora é acabar com o jejum de 12 meses sobre o time da colina.

SRN.

Padrão
A Diretoria, Jogadores, O Clube

Sobe e Desce Rubro-Negro

O esquema parece ter encaixado, o time deu retorno em campo. Contra Botafogo e Boa Vista, os comandados de Muricy Ramalho, mostraram que são muito fortes e que hoje pode ser o bicho papão dos times que dominando os campeonatos no Brasil.

Vamos ver quem está em ascensão e quem está em descenso neste novo esquema de Muricy.

subindo.fw.pngmarcelocirino

Subindo a escada da moral com torcida, comissão técnica e diretoria, temos Marcelo Cirino. O atacante antes muito questionado, principalmente pelas baladas e amizades que outrora o atrapalhavam em campo, agora vive marcando gols, dando assistências e infernizando os zagueiros adversários. Com 3 gols nos últimos 3 jogos, Cirino acabou com a sina de não marcar gols em clássicos, marcando um tento contra o Vasco e um tento contra o Botafogo. Hoje o jogador, é peça essencial no ataque rubro-negro e o melhor parceiro para Guerrero.

mancuellohoje.fw.png

Mancuello, o “gringo”! Mais em alta do que nunca, voltou dos seus 41 dias de internação, mexendo e mexendo muito com a nação rubro-negra. Primeiramente, com a exibição de gala contra o Boa Vista, onde marcou um golaço de falta, daqueles de relembrar Petković e Zico. Com passes precisos, muita determinação e vontade, o gringo já mostrou que no atual elenco, é o dono do time (um pecado não terem lhe dado a camisa 10. Ainda!).

E como se não bastasse, após o jogo de sábado, postou belo texto informando a nação, sobre o que fizera nos 41 dias de sua recuperação. Estudou português, a cultura e a música brasileira e leu bastante sobre a história do Flamengo.

É com atitudes assim que se molda um grande ídolo!

descendo.fw.png

paulovitorflaCom apresentações cada vez mais inseguras o goleiro Paulo Vitor, parece viver o seu inferno astral. Há quem diga que se trata de um goleiro fora de série que já mostrou o seu valor em outros anos, etc. A maior parte da torcida no entanto, o vê como um goleiro comum, normal, mediano, que não é o suprassumo, mas que também não é o principal motivo dos problemas rubro-negros. Enquanto Paulo Vitor segue incontestável para Muricy Ramalho, os torcedores mostram sua insatisfação com o arqueiro e pedem que Muralha seja testado. Paulo Vitor, sempre muito seguro, quando questionado por repórteres sobre sua condição no escrete rubro-negro, responde com autoridade, dizendo que recebe muitas propostas e no dia que não estiver bom para o Flamengo, seguirá sua vida em outro grande clube. São Paulo está de olho nele.

emersonconfiança

Emerson Sheik, caiu vertiginosamente no conceito do torcedor e da comissão técnica. Sua habitual disposição, tem se transformado em jogadas bisonhas de puro egoísmo, causando desconforto aos seus companheiros e a Muricy, que sempre o teve como seu jogador de confiança no elenco. Parece estar de saída para a China. Negociação deve se concretizar em junho.

estacionados.fw

Na categoria ESTACIONADOS, temos jogadores que se mantém com regularidade marcante e jogadores que continuam em dívida com a torcida, sem terem conseguido melhorar em nada nos últimos jogos.

wallacelendo.fw

O zagueiro rubro-negro, parece ter chegado no limite máximo entre a mediocridade e a incapacidade. Não melhora, não evolui, não piora (até porque é impossível jogar pior).

marcioaraujofla.fw

Márcio Araújo se mantém como unanimidade entre os torcedores.

alan patrick

Alan Patrick continua sendo o jogador que sempre foi. Ora decide, ora se apaga e some do jogo. Com ajuda de Mancuello seu futebol tende a crescer.

juan

Juan se mantém um monstro. Capitão técnico do time.

cuellarresende

Gustavo mantém-se seguro e discreto. Não erra passes e acerta grande parte de seus botes.

Certo é que, elenco por elenco, hoje o Flamengo segue tendo um dos melhores elencos do Brasil. É importante salientar que isso não faz do time de Muricy, um dos melhores times de todos os tempos, muito pelo contrário. No futebol nivelado por baixo, esse time rubro-negro, é sim um dos melhores e pode sim (se não for atrapalhado pelo fator casa), ser um dos grandes papa títulos de 2016.

SRN.

Padrão
Campeontato Carioca, O Clube

Classificados ?

Não, o Flamengo ainda não está classificado a semi-final do campeonato carioca 2016. Estranho essa dificuldade em estar entre os 4 com todo investimento em jogadores e infra-estrutura que o clube fez neste início de ano.

Bem, na verdade não é tão difícil assim entender. O clube fez sim, muito investimento no futebol, mas o fez praticamente do mês de janeiro para cá. Inclusive a chegada do novo treinador, que só pode contar com suas peças praticamente após o carnaval.

Apesar de muitos amistosos e de muitas tentativas de encontrar o time ideal dentro deste elenco, uma coisa demorou a ser identificada: o problema com o esquema 4-3-3.

Muricy em seu estágio no Barcelona, viu e ficou maravilhado em ver, que no clube catalão, todas as categorias treinam com o mesmo esquema tático, desde as primeiras divisões. Assim, os atletas seguem uma filosofia, que permite que já cheguem aos profissionais, totalmente inteirados sobre a forma de jogar e não levem tempo para se adaptar. Perfeito! Ideia genial! Para o Barça, não para o Flamengo.

Para que essa ideia dê certo hoje, em qualquer clube, seria necessário:

  1. O clube trabalhar 90% com a sua base no time profissional;
  2. A base já estar trabalhando nesse esquema tático a pelo menos 3 anos.

No Flamengo, não foi feito assim. Identificaram as características dos jogadores de ataque, e então definiram que o 4-3-3, seria a melhor opção para o time. Ledo engano. Erro brutal.

Com as chegadas de Cuellar, Mancuello e Arão, todos sabiam que a união de Alan Patrick ou Ederson a esse trio, proporcionaria ao Flamengo, talvez um dos melhores meios de campo do Brasil. O 4-3-3, deixava esse meio campo sobrecarregado demais, impedindo que a armação das jogadas acontecesse de forma natural e expunha a zaga de maneira a ressaltar cada vez mais as falhas de cada um de seus componentes.

Muricy mudou. Montou o time no 4-4-2, e vem colhendo bons frutos. Mesmo sem vencer o Botafogo, o time mostrou uma evolução tática monstruosa. Tipo 50 anos em 5. E ontem, a torcida pode constatar mais uma vez a força que este esquema tem com as peças que o elenco rubro negro possui.

flaboa1.JPG

Jogando para quase 4.200 testemunhas, no estádio Raulino de Oliveira, o Flamengo entrou com:

flaboa.png

A movimentação no primeiro tempo não só impressionou pela sua intensidade, como surpreendeu pelo seu resultado.

2 a 0.

Mancuello, se movimentou muito desde o apito inicial. Caindo da esquerda para o meio, do meio para a direita, se revezando com Alan Patrick e criando várias jogadas. Numa dessas jogadas, o gringo foi derrubado na entrada da área do Boa Vista. Este ajeitou a bola, tendo Alan Patrick como companheiro, bateu e fez um golaço. Daqueles que Zico assinaria facilmente.

Em declaração após o jogo, o meia disse saber que a bola entraria, havia pressentido isso.

mancuboavista.png

Em jogada envolvente, agora entre Willian Arão, Rodinei e Cirino, o atacante rubro-negro recebe, pára a gorduchinha e conclui. Flamengo 2 a zero.

Ao final do primeiro tempo a constatação: Flamengo com 72% de posse de bola. O meio campo definitivamente funcionou.

Ele percebeu que o esquema ideal para o Flamengo é mesmo o 4-4-2. Este pode ser num losango, como o desenhado na figura acima, como pode ser num quadrado, com Arão jogando ao lado de Cuellar, mas é esse o esquema para o time, com as peças que tem.

E qual foi a surpresa, quando indagado, Rodinei disse o que Muricy ressaltou aos jogadores no intervalo: “…Ele pediu que a gente aumente a posse de bola.”

Muricy de tão inteligente, chega a beirar a loucura, aumentar a posse? Mas já tínhamos conseguido 72%.

Porque então aumentar a posse de bola?

Porque você muda o esquema, mas não muda a filosofia, que é ter a posse bola para não ser agredido. É ter a posse de bola, para poder trabalha-la em prol da construção do resultado favorável. Excelente Muricy!

Só os grandes treinadores, tem a capacidade de mudar e se adaptar de forma rápida, sem perder suas convicções.

Voltando ao jogo no campo, entraram Gabriel e Sheik, sairam, Cirino e Mancuello. Pouca coisa mudou, o time continuou pressionando muito e em jogada individual, Guerrero roubou a bola do goleiro e tocou para o fundo do gol, fechando o placar.

flaboa2

Reparem, que mesmo antes da bola cruzar o gol, o peruano já sorri, certo que acabara com a sequencia sem gols.

Flamengo 3, Boa Vista 0!

Muricy demorou para encontrar o time ideal? Demorou para mudar o esquema tático? Não. Com certeza não!

Testou e mexeu nas peças da maneira que precisava. Hoje conhece bem o elenco e sinceramente, classificar ou não neste campeonato, é a menor das prioridades.

SRN

Padrão
A Diretoria

Faltou planejar ? !

É…, 2016 já começou faz tempo e o Flamengo ainda estuda onde vai jogar. Reformando o gramado do Mané Garrinha, o rubro-negro pensa em mandar seus grandes jogos na arena de Brasília (isso se Rubens Lopes estiver de acordo, claro!).

O estado Giulite Coutinho é uma aposta mais viável para manter a maior parte dos jogos no Rio de Janeiro. Mais viável?

Pois é. Para essa diretoria tudo é mais viável que reformar e aumentar a capacidade da Gávea.

Giulite Countinho é um estádio que fica no bairro de Édson Passos, que é um bairro do município de Mesquita do estado do Rio de Janeiro. Faz divisa com os bairros de Cosmorama, Vila Emil, Centro, Chatuba, Santa Teresinha e com o município de Nilópolis. Neste bairro também fica localizada a Estação Edson Passos.

O estádio foi inaugurado em 23 de janeiro de 2000 no jogo America 3 a 1 na Seleção Carioca, tendo o atacante Sorato, do America, feito o primeiro gol no estádio. A capacidade de público atualmente é de 16.000 pessoas, e seu recorde de público foi no jogo America 4 a 3 Flamengo, com 9.009 pagantes, em 8 de fevereiro de 2004. Atualmente, está oficialmente liberado para pouco mais de 13.000 pessoas.

giulite.jpg

A diretoria rubro-negra o vê com bons olhos e na falta do Maracanã, prefere realizar algumas reformas neste estádio, há fazer reformas no estádio da Gávea, que deveria ser o seu verdadeiro lar.

Alguns dirão: “tem que planejar”, “tem que dar tempo ao tempo”, “a culpa é do Kleber Leitte”, ok, concordo. Mas acho que falta aos comandantes do Flamengo a velocidade para planejar e resolver esse que hoje é o grande problema do clube.

Sem casa, o Flamengo estudou jogar em São Januário, o que foi prontamente negado pelo comandante vascaíno.

Citou em vão o estádio do Engenhão, porém uma vez mais teria que beijar a mão de outro mandatário do futebol carioca, que rapidamente descartou qualquer possibilidade de habitar o “co-irmão” rubro-negro.

E o Maracanã? O estádio só será entregue ao governo do Rio em outubro. Sabe-se lá em que condições, sabe-se lá como estará o gramado. O Flamengo pressiona para que haja outra licitação. Claro, óbvio. A este ponto, a diretoria rubro-negra já viu a bobagem que fez ao assinar o contrato nos moldes que assinou e agora pressiona por uma nova licitação, onde, participando ou não, terá nova chance de tentar um contrato mais agradável.

maracanã 2016

Estádio do Maracanã recebendo show em 2016.

Isso prova que foram muito, mas muito incompetentes, na formulação do primeiro contrato. Agora joga com as cartas que tem, a pressão. Pressionam o estado do RJ inclusive se oferecendo para gerir o estádio. Mas não tem coragem o suficiente para o fazer sozinhos, sempre mencionam ter o pequeno clube do pé de laranja, como seu parceiro, o que desagrada a grande maioria da torcida rubro-negra.

Então sobrou, Édson Passos.

Não, peraí… Sobrou a Gávea… Há não, faltou planejar…

#SRN

Padrão
O time

Qual o melhor esquema para o Flamengo?

O 4-3-3, é um belo esquema, que remonta os tempos do nosso melhor futebol. É um esquema cheio de atacantes e meias avançados. Mais ousadia que isso, nenhum outro esquema proporcionará.

Entretanto, no futebol moderno, onde todos os espaços são ocupados, um futebol veloz e de muita força física, esse esquema, pode deixar um rastro de problemas pelo caminho.

VARIAÇÕES TÁTICAS.fw

Para o 4-3-3 funcionar, precisamos ter apenas um volante de contensão, preso a frente da zaga, um segundo homem de meio que apoia e defende muito e um segundo homem, o de ligação, responsável por municiar os pontas e o centroavante o tempo todo.

Mas esse meia, também deve ter responsabilidades na recomposição do meio, ou o time ficará com apenas dois jogadores ocupando esse setor, o que acarretará na sobrecarga na parte defensiva.

Os pontas devem ser velozes, acompanhar brutalmente os laterais e impedir que os mesmos consigam desempenhar bom papel no apoio. E ainda estarem abertos e preparados para puxar o contra-ataque na roubada de bola.

Como veem, é um esquema que exige demais do time e de seus jogadores e o saldo disso é: Cansaço excessivo e jogadores lesionados.

Bem parecido com o que aconteceu no primeiro trimestre com o Flamengo.

Para esse esquema funcionar, é preciso ter um elenco “grande”, com peças que estejam no mesmo nível. É preciso pelo menos dois jogadores de mesmo nível, em cada posição. E o Fla não tem isso. O que impossibilita o rodízio dos jogadores.

Resultado: Mancuello e Everton se lesionaram. Alan Patrick estreou e teve que parar para trabalhar mais a parte física. Cirino, Juan, Guerrero e Sheik sentiram o cansaço e Willian Arão, se perdeu entre as várias funções que tinha para desempenhar, comprometendo o seu futebol.

Ou seja, está na hora de Muricy repensar o esquema tático do time. Com a entrada de mais um homem no meio de campo, o time fica mais equilibrado, as funções melhores distribuídas e o time mais protegido.

Esta semana será decisiva para os planos de Muricy com o time rubro-negro. Poderá descansar jogadores, conversar taticamente com o time, treinar o posicionamento e preparar os jogadores para entrar num trimestre decisivo de Campeonato Carioca, mata-mata da Copa do Brasil e início de Campeonato Brasileiro.

#SRN

Padrão