A Diretoria

Quando o próximo ano deve começar

Quando o próximo ano deve começar?

E qual seria o perfil e a filosofia que essa diretoria do Flamengo traçou para jogadores no ano de 2016?

Ao final da temporada, vimos dirigentes, bravejando falácias contra um elenco apático e sem vontade. Prometendo “passar o rodo”, mudando totalmente o perfil e a filosofia para o próximo ano.

Bem, mais de 20 dias da reeleição se passaram e o bonde da Stella continua seu reinado no clube, onde nunca estiveram tão tranquilos como agora.

Márcio Araújo, trata calmamente de sua renovação de contrato, agora com o escudo imposto pela diretoria de que é uma exigência de Muricy.

Contratações como as de Arthur Henrique, Rodinei, Juan e Antônio Carlos, são as únicas anunciadas até o momento.

A eminente perda do zagueiro Henrique para o Fluminense desencadeou a ira dos rubro-negros mais antenados, gerando ondas de reclamações no twitter por todos os lados.

Os influenciadores digitais, que outrora gritavam Flamengo, hoje estão nos bolsos dessa diretoria e saíram rapidamente em defesa da mesma. Mas não adiantou. Os flamenguistas de verdade, aqueles que escolheram colocar o seu amor ao clube, entre as coisas mais importantes de suas vidas, resolveram mostrar a sua força vencendo o primeiro bloqueio, chegando diretamente aos ouvidos de membros da diretoria rubro-negra.

E não é que em pleno dia 25 de dezembro, retiramos dois dirigentes do conforto de seus lares, para dar explicações via twitter aos torcedores que se decepcionaram com os níveis de presentes que o bom velhinho nos deixou?

Primeiro veio o VP de Comunicação, ditar 5 regras sobre o comportamento da diretoria quando lidando com contratações. Regras estas, tão cômicas quanto sua verdadeira função em um outro grupo de comediantes que não os da Gávea.

E como as reclamações não cessavam, veio então o VP de Finanças dar sua versão sobre o dinheiro que o Flamengo tem em caixa e sobre o que está planejado para o ano de 2016.

Se a intenção era “acalmar” os ânimos, mais uma vez o tiro saiu pela culatra e ambas intervenções só deixaram os torcedores rubro-negros mais preocupados que nunca.

Ficou evidente que o tal: PLANEJAMENTO, não é o forte dessa diretoria e que as coisas estão sendo tocadas a medida em que as “oportunidades” vão aparecendo.

A lentidão para concluir negociações e a falta de alguém que realmente saiba dar a devida satisfação aos torcedores rubro-negros, fazem com que o descrédito paire mais uma vez sobre os comandantes do navio rubro-negro.

A essa altura, já ficou bem claro, que o Flamengo não tem definida uma filosofia e nem um perfil para jogadores que irão compor o elenco em 2016.

O que está bem claro, é que não há OUSADIA para negociar e nem PLANEJAMENTO para executar o que se precisa, para fazer um Flamengo forte em 2016.

Até quando, teremos que sofrer pelos anos de incompetência e desmandos de diretorias desastrosas?

Até quando pagaremos com nossa alma e com nossos corações, simplesmente porque a atual gestão não tem a força e a garra que são necessárias tanto no campo de jogo, quanto no campo administrativo?

Essas são as perguntas que deixo para que os dirigentes rubro-negros refletirem.

SRN.

 

 

Padrão
A Diretoria

O Resultado das Eleições

Sim, eu sei. Já se passaram 20 dias desde que a Chapa Azul foi reeleita e portanto essa conversa chata de política já deveria ter ficado para trás.

Entretanto, tinha uma visão bem particular sobre o que aconteceria logo após as eleições que ainda não ocorreu.

Com exceção das rusgas entre Bandeira e Wallin e entre Bandeira e BAP, esperava que alguns nomes fortes da Chapa Verde, já tivessem recebido convites para integrar a nova governança do Flamengo.

Nomes como os de Tostes e Landim, seriam muito bem aproveitados nessa gestão. Mas ao que tudo indica, o rompimento entre as chapas, foi muito mais definitivo do que se imaginava.

Pior para o Flamengo, que fica dividido e sem bons nomes para ajudar a levantar esse gigante.

Alias, isso é outra coisa que está faltando aos nossos dirigentes atuais. Entender que estão guiando o maior carro esportivo das Américas, com um potencial gigantesco e inesgotável de rentabilidade se bem gerido.

Assim que entenderem o verdadeiro tamanho e potencial que o gigante e mais querido clube de futebol do Brasil possui, o arrojo e a ousadia (que comentarei em outros posts), que tanto os falta, certamente emanarão e possibilitarão a eles se posicionar e tomar decisões mais contundentes.

Padrão